O coordenador pedagógico ainda carrega o estigma de fiscal. Muitos acreditam que ele está pronto para autuar professores na sala de aula, só de olho em uma lista ampla de tópicos que o docente precisa garantir: pontualidade, cumprimento dos conteúdos, adequação das tarefas e tantos outros itens. Caso falhe em algo, lá está o fiscal, pronto para indicar seus erros. A realidade, no entanto, é bem diferente dessa, meus caros colegas. O coordenador pode ser um parceiro valioso para nós. Ao atuar em prol de melhorias nas condições didáticas e pedagógicas, ele se corresponsabiliza pela qualidade do trabalho em classe.

Continuar lendo